Sábado 16 Dezembro 2017

Um pouco da nossa história...

Em todo o interior do Estado de São Paulo, por volta de 1945, espíritas se reuniam para estudo da Doutrina Espírita. Ribeirão Preto seguia a regra.

Em 1.° de abril de 1945, num desses encontros, o Dr. Jaime Monteiro de Barros sugeriu, aos participantes, que essas reuniões se transformassem em “uma unificação harmônica, para maior êxito e brilho na campanha de cristianização das almas”, sendo a idéia bem recebida.

Em 22 de setembro de 1945, no Centro Espírita Apóstolo Paulo, tem início, oficialmente, a “CONFRATERNIZAÇÃO DOS ESPÍRITAS DE RIBEIRÃO PRETO”.

As reuniões da Confraternização dos Espíritas de Ribeirão Preto, eram mensais e constituídas de duas partes: na primeira, era efetuada uma palestra evangélica, aberta a todos que desejassem participar; na segunda, reunião reservada com os diretores das Casas Espíritas, com o objetivo de traçar planos para dinamização da divulgação espírita.

Em 27 de abril de 1946, na sede, provisória, do Centro Espírita Joana D’Arc (Rua Saldanha Marinho, 226), foi eleita a 1.ª diretoria da CONFRATERNIZAÇÃO DOS ESPÍRITAS DE RIBEIRÃO PRETO, que tomou posse em 25 de maio de 1946, na sede do Centro Espírita Apóstolo Pedro (Rua São Paulo, 80), sendo assim constituída:

Presidente – Dr. Jaime Monteiro de Barros;

Secretário – Theodoro José Papa;

Tesoureiro – José Delibo

Nesta mesma data (27/04/1946) o Sr. José Cunha, sugere a criação da “Liga Espírita de Ribeirão Preto”, sendo opinião geral, prematura a iniciativa, devendo-se aguardar data mais oportuna para tal.

Ainda nessa reunião, é lido o Manifesto, assinado pela: Sinagoga Espírita Nova Jerusalém, União Federativa Paulista, Federação Espírita do Estado de São Paulo e Liga Espírita do Estado de São Paulo conclamando os espíritas à união; que obteve aprovação geral dos presentes à reunião. Mais tarde (05/06/1947), essas mesmas Entidades, criarão a USE – União Social Espírita, atualmente – USE – União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo.

Em 05 de maio de 1946, quando a USE – União Social Espírita, vivia uma “fase embrionária”, mas já filiando Centros Espíritas, é dado ciência aos freqüentadores da CONFRATERNIZAÇÃO DOS ESPÍRITAS DE RIBEIRÃO PRETO, que nove de seus Centros integrantes, são adesos à USE, sendo eles: União Espírita de Ribeirão Preto, Centro Espírita Eurípedes Barsanulfo, Centro Espírita Batuíra, Centro Espírita Amor e Caridade, Centro Espírita União e Caridade, Centro Espírita Cristo Redentor, Centro Espírita Joana D’Arc, Centro Espírita Apóstolo Paulo e Centro Espírita Allan Kardec. Nesta mesma data o Dr. Jaime Monteiro de Barros é nomeado Delegado da USE para a Alta Mogiana.

Em 27 de julho de 1947, sustentada por essa Confraternização, que a originou, foi fundada a UME – União Municipal Espírita de Ribeirão Preto.

Em janeiro de 1980, passou a ser denominada de UNIME – União Intermunicipal Espírita de Ribeirão Preto, quando ocorreu a adesão Entidades Espíritas de cidades vizinhas ao Movimento Espírita de Ribeirão Preto.

Em 27 de fevereiro de 1993, para adaptar-se a nova estrutura da USE - União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, em Assembléia Geral Extraordinária realizada na sede da Sociedade Espírita Pequeninos de Jesus (Travessa São Roque, 108 - Campos Elíseos), foi aprovada a sua nova denominação para USE – União das Sociedades Espíritas Intermunicipal de Ribeirão Preto, tendo como sigla USE – RIBEIRÃO PRETO, critério adotado para todas demais USEs, identificando-a como sendo a da cidade de origem.

Atualmente o Estado de São Paulo é constituído por centro e trinta órgãos de unificação municipais e intermunicipais. A USE – RIBEIRÃO PRETO participa e compõe a USE Regional de Ribeirão Preto que, por sua vez, é constituída pelas USEs: Intermunicipal de Araraquara, Intermunicipal de Barretos, Intermunicipal de Bebedouro, Intermunicipal de Jaboticabal, Municipal de Matão, Intermunicipal de Ribeirão Preto, Intermunicipal de São Carlos e Intermunicipal de São Joaquim da Barra.

Em Ribeirão Preto, a USE Intermunicipal é formada por sessenta e duas associações espíritas da cidade e região (entre elas centros espíritas, entidades prestadoras de serviços, lares, creches, escolas, casas de atendimento ao idoso e portador de transtorno mental).

Os representantes dessas entidades formam o Conselho Deliberativo, que entre eles escolhem e elegem a Comissão Executiva para coordenar as tarefas administrativas em períodos pré-estabelecidos.